Pé-de-Moleque Nordestino Tradicional

Esta receita eu consegui na última viagem que fiz ao interior da Paraíba. Tive então a oportunidade de conhecer esta sensacional receita de pé-de-moleque tradicional (com direito inclusive a folha de bananeira rsrsrs). Percebam que este é o pé-de-moleque nordestino que assemelha-se a um bolo, diferente do pé-de-moleque do sul brasileiro que é bastante duro, mas igualmente delicioso. O interessante é que fiquei sabendo que o pé-de-moleque surgiu por volta do século XVI com a chegada da cana-de-açúcar na era colonial do Brasil.

Dizem por aí que o nome surgiu porque as crianças ficavam assistindo as cozinheiras das fazendas mexendo seus tachos no preparo da massa e, por serem muito acanhadas, não diziam à cozinheiras o que queriam e a causa de ali estarem. Quando percebiam isso, as cozinheiras diziam às crianças: “Pede, moleque!”.

Ah, quisera eu que meus filhos fizessem o mesmo. Às vezes penso em amarrar um sino na tampa de cada panela para ter certeza que não vão acabar com a receita antes mesmo dela ficar pronta!

Pé-de-Moleque Tradicional

Pé-de-Moleque Nordestino Tradicional

Categorias: Tortas e bolos
Autores: Guloso e Saudável
Rendimento: 24 porções
Tempo de preparo: 25 minutos
Tempo total de preparo: 45 minutos
Grau de dificuldade: Fácil
Comida: Brasileira
Porção: 100 gramas

Ingredientes

  • 1 quilograma: Rapadura – Melaço de cana;
  • 1 copo: Leite de coco;
  • 1 quilograma: Carimã (mandioca fresca ralada);
  • 2 colheres de sopa: Margarina;
  • 5 colheres de sopa: Cravo da Índia;
  • 5 colheres de sopa: Erva doce;
  • 250 gramas: Castanha de caju;
  • 10 colheres de sopa: Gengibre;

Modo de preparo

  1. Triture e em seguida derreta a rapadura no fogo com cerca de 100ml de água.
  2. Lave as folhas de bananeira, para envolver o bolo, reserve..
  3. Ferva bastante o cravo, a erva-doce e o gengibre ralado em 250ml de água, depois bata no liquidificador e passe na peneira de forma a fazer um chá forte e uniforme.
  4. Em uma tigela misturar a carimã, a manteiga, o leite de coco e acrescente aos poucos a rapadura derretida quente, o chá de erva-doce, gengibre, cravo-da-índia e 200 gramas de castanha de caju triturada; caso a massa fique mole, deve-se acrescentar farinha de mandioca até que adquira a consistência ideal.
  5. A massa vai ficar bem homogênea. Corte as folhas de bananeira e coloque a massa nela, finalize com as  50 gramas de castanha de caju inteira em cima da massa. Dobre e leve ao forno pré-aquecido por 25 minutos ou até que o palito sair limpo.
  6. Ou, despeje em uma fôrma retangular média e, leve para assar em forno médio, até que o palito saia limpo.
  7. Assim que retirar do forno pincele leite de coco no bolo.

Valores nutricionais por porção

Cálcio: 69 mg Calorias: 274.1 kcal
Carboidratos: 50.7 g Colesterol: 0 mg
Fibras totais: 1.3 g Fósforo: 61.7 mg
Gorduras: 7.9 g Gorduras monoinsaturadas: 0.1 g
Gorduras poliinsaturadas: 0.2 g Gorduras saturadas: 2.2 g
Magnésio: 12.5 mg Potássio: 72.1 mg
Proteína: 2.7 g Sódio: 69.6 mg
Os valores nutricionais são baseados em cálculos teóricos. Não foi executada uma análise laboratorial.

O que você achou desta receita? Dê o seu pitaco: comentários (bem comportados) são sempre bem vindos!

Anúncios

Publicado em 11/06/2011, em Receitas Saudáveis, Tortas e Bolos e marcado como , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: